PERFIL

Você acha que sabe tudo?

Com o título de "Pouca intimidade com bits", a edição de maio/97 da revista "Pequenas Empresas Grandes Negócios" relata a pesquisa da empresa de consultoria e recrutamento SEC Secretary, Search & Training, de São Paulo, sobre o conhecimento de 1500 secretárias em ferramentas eletrônicas básicas, como editor de texto e planilha de cálculo. Teste aplicados às participantes evidenciaram que diversos softwares estão sendo subutilizados e que a Internet ainda é uma ilustre desconhecida entre essas profissionais. A dona da empresa que realizou a pesquisa, Stefi Maerker, afirma que "algumas secretárias ainda usam o computador como uma máquina de escrever e que se não se atualizarem boa parte das profissionais será descartada".

Embora não tenham sido mencionadas na revista outras características das entrevistadas (como, por exemplo, nível de escolaridade, região onde atuam, tempo de experiência na profissão, idade, etc.) e a pesquisa se limite a um número restrito de secretárias (já que apenas no Estado de São Paulo - Sinsesp), os dados apresentados são, no mínimo, um alerta para todos nós: ter "familiaridade" com um software não é o mesmo que dominá-lo; não bastas tê-lo visto funcionar, saber seu nome e  operar um pouco com ele. Requer muito mais do que isso: treinamento, disposição para aprender e, sobretudo, interesse em se dedicar para poder explorar todas as facilidades que ele pode oferecer.

Em conseqüência, muitas das nossas atividades poderão se aperfeiçoadas, usadas com criatividade e inovação, contribuindo assim para o aumento da nossa empregabilidade.

Já algum tempo vem se falando nesse termo e, mais recentemente, em empresabilidade. Você sabe do que se trata? A empregabilidade "é a capacidade de as pessoas serem consideradas empregáveis" e resulta das habilidades e da capacitação que cada indivíduo deve procurar desenvolver, através de si mesmo ou das entidades onde esteja prestando seus serviços, para ser cada vez mais empregável, isto é, apto a ser absorvido pelo mercado. A empresabilidade, por sua vez, "é a capacidade de as empresas oferecerem condições de manter empregados com alta taxa de empregabilidade". Quanto mais versáteis, capacitadas e polivalentes nos tornamos mais se abre o leque de opções onde nossas habilidades podem se aproveitadas e maior é o número de oportunidades que nos podem ser oferecidas.

Ao mesmo tempo, a exigência de qualificação eleva-se, obrigando-nos a aumentar nosso nível de informação e de atualização, principalmente levando-se em conta a rápidae dinâmica evolução dos meios de acesso à informação e ao conhecimento.

Nos últimos anos as empresas vêm passando por reestruturações, as quais têm gerado modificações  significativas nos postos de trabalho, substituindo e automatizando diversas tarefas rotineiras.

A secretária também está inserida neste cenário, pois ela vem sendo requisitada para atividades diversas das que vinha habitualmente executando. É justamente neste ponto que temos que ampliar nossa visão e aceitar os novos desafios que nos possam se oferecidos. Naturalmente, o bom senso deve regular esse processo, ou seja, não se trata de aceitar toda e qualquer tarefa que nos for solicitada para atender à nova estrutura das empresas. O importante é saber enxergar que, muitas vezes, os novos desafios contêm oportunidades de aprendizado e treinamento e, sem dúvida, virão contribuir para o nosso crescimento pessoal e para a nossa empregabilidade. Se lhe for pedido para confeccionar um gráfico, por exemplo, e isto é justamente o que você não sabe fazer, aceite a incumbência, encare o desafio e esforce-se para cumprí-lo da melhor maneira possível. Mesmo que lhe custe tempo, alguma irritação e o favor de algum "expert" para lhe dar alguma dica, terá valido a pena. Você terá aprendido e, da próxima vez, poderá fazer ainda melhor: dividir o que aprendeu com aquela colega que tem vontade, mas não tem a chance de se desenvolver neste assunto.


Faça esse exercício e você acabará percebendo:

  • que há sempre algo de novo para descobrir,
  • que todas nós, quando queremos, temos imensa capacidade para aprender,
  • que é muito gratificante colaborar para o crescimento de outras pessoas

Cleomar Bressane Cruz Alves
Secretária na Fundação Centro Tecnológico para Informática - CTI
Campinas, SP.
e-mail: [email protected]